Lion

mv5bmja3njkznjg2mf5bml5banbnxkftztgwmdkymzgzmdi-_v1_sy1000_cr006811000_al_
Fotografia retirada do Imdb

Ano: 2016

Autores: Saroo Brierly (adaptação do seu livro A long way home) e Luke Davis

Protagonistas: Dev Patel, Rooney Mara, Nicole Kidman

Cotação Imdb: 8.0/10

(Baseado em factos reais)

Saroo é um menino indiano que, aos cinco anos, se perde do irmão, mais velho. Analfabeto, confuso e assustado, dá por si longe de casa, em Calcutá, sem saber como para lá voltar.

Após escapar a vários perigos, nomeadamente a redes de tráfico de menores, é adotado por uma família Australiana.

Vinte e cinco anos mais tarde, formado e com uma vida privilegiada, embarca numa longa e dolorosa viagem pelo passado, numa tentativa de reencontrar a família biológica.

Em grande parte graças à magnífica representação de Dev Patel, o filme é capaz de transmitir a dicotomia da qual não consegue alhear-se de uma forma muito intensa, retrata a pobreza e fragilidade humana naquela pequena povoação indiana. É quase fácil cair na tentação de acreditar que o azar se revelou ser a sorte de Saroo, perante o contraste entre a vida que tinha (e teria), continuando na sua terra natal, e a que acabou por encontrar do outro lado do mundo.

Mas a angústia é constante ao longo deste filme maravilhoso do princípio ao fim, sendo um sentimento transversal a quase todas as personagens intervenientes.

Lion, testemunho das capacidades representativas de Rooney Mara e de Nicole Kidman, conta uma história de amor familiar que se divide em duas e que conduz o espectador a uma reavaliação quase espontânea da sua vida, pondo as várias realidades em perspetiva.

Esperava que a relação dos pais adotivos com os filhos, que se percebe ser de uma dificuldade imensa, resultado de um amor profundo, fosse um pouco mais explorada. Não sendo esse o foco da história, é um tema lindíssimo, que traz, indubitavelmente, uma visão crua deste tipo de amor.

O tráfico infantil na Índia é, ainda hoje, uma realidade – mais de 80 mil crianças são anualmente vítimas destas redes. A ministra para o desenvolvimento das mulheres e crianças, Maneka Gandhi, fundou em 2015 dois websites, o Track Child e o Khoya Paya, para ajudar as famílias a encontrarem (ou, pelo menos, a tentar) as crianças desaparecidas.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s